Entendendo Phrasal Verbs … ou pelo menos tentando.

Phrasal Verbs são verbos acompanhados por preposições ou partículas adverbiais que têm sua tradução complicada. Ou, em outras palavras, estudar phrasal verbs é muito chato! Alguns poucos são até fáceis de entender seu sentido, mas a regra não é essa.

Quer ver? Por exemplo, o verbo to give significa, sozinho: dar. Mas se acrescentarmos a preposição up, temos o phrasal verb to give up, que significa desistir! Ai, ai ai…

Outro exemplo, entre inúmeros, é o verbo to turn, que significa em um primeiro momento: transformar, virar. Agora, veja quantos outros significados ele pode vir a ter se adicionarmos algumas partículas adverbiais ou preposições:

to turn on = Ligar (algum aparelho elétrico)

to turn in = devolver

to turn up = aparecer

to turn off = desligar

to turn out = revirar

Ou seja, não tem lógica alguma. Por mais que você tente achar um padrão nesse caos maluco dos phrasal verbs, o máximo que você vai conseguir é uma enxaqueca. Então a melhor dica para compreendê-los é estudando-os … um-a-um.

E como eu sei que você não vai estudá-los um-a-um (o que levaria um tempo considerável, uma vez que existem dicionários apenas para eles), concentre-se nos mais comuns e siga em frente.

Comprar um desses dicionários rápidos de phrasal verbs e com uma lista bem legal com os mais usados é uma dica legal! A Oxford tem um bem prático chamado Aprenda Definitivamente 100 Phrasal Verbs. Facinho de achar!

See you next time!

Mother Superior Jump the Gun

Depois de um mês de merecidas férias onde tive a oportunidade de atravessar a Abbey Road e curtir a noite no Cavern Club, eis que aqui estou novamente nos comandos desse seu tão simpático blog! 🙂

E para não perder mais tempo já mando algumas expressões idiomáticas (ou idioms) para começarmos a segunda-feira com coisa nova na cachola!

E a primeira é a que dá título a este post:

Jump the Gun

Significa tirar uma conclusão precipitada, ou começar algo antes do tempo:

“Don’t jump the gun, man! Read all about the meeting and tell me what you think!” (Não tire conclusões precipitadas, cara! Leia tudo sobre a reunião e diga o que acha!)

A origem é no atletismo, onde há um tiro de pistola (gun) para  iniciar uma corrida. O cara que começa antes do tiro queima a largada. Então, a melhor tradução para “jump the gun” seria “queimar a largada”.

Ah sim, e por que “mother superior” (madre superiora)? Apenas uma lembrança de uma letra de música dos Beatles: “Happiness is a Warm Gun” (A Felicidade é uma Arma Quente).

To Mollycoddle

You should stop mollycoddling your children! (Você deveria parar de mimar seus filhos)

Quem não conhece uma criança mimada? Até alguns adultos ainda são assim! Ai, ai, ai!
A origem dessa curiosa expressão ainda é meio nebulosa, mas  acredita-se que Molly seja o nome de alguma mulher, ou menina, e “coddle” significa acariciar.
Hooligan

“Watch out those hooligans!” (Cuidado com aqueles vândalos)

Na realidade o termo hooligan é falado em seu idioma original ao invés de traduzí-lo. Mesmo porque muitos de vocês certamente já ouviram falar dos torcedores ingleses fanátios que quebravam estádios e tudo num raio de um quilômetro do estádio em dia de jogo. Hoje a coisa mudou um pouco.

Tive a oportunidade de ver mês passado em Londres um grupo de torcedores do Manchester United concentrando-se defronte um pub e do outro lado da rua os do Manchester City, no sábado, dia de dois jogos importantes e que ambos os times disputavam. Uma simpática senhora londoner ao meu lado dizia:

– “If they are heading for Wembley, I don’t want to be in the same train.” (Se eles estiverem indo a Wembley eu não quero estar no mesmo trem.)

Claro que longe de quebrar coisas como os hooligans faziam, os torcedores apensas bebiam e cantavam muito alto. Bem, ingleses adoram um futebol!

Valentine’s Day

“Well, we’re about to celebrate Brazilian’s Valentine’s Day!” (Bem, estamos prestes a celebrar o Dia dos Namorados brasileiro)

Nos países de língua inglesa, o dia dos namorados é celebrado no dia 14 de fevereiro. A tradução é Dia de São Valentim, uma data onde, segundo uma crença inglesa, os pássaros escolhem seus parceiras para acasalar. Mimoso, não?
Então nesse dia os namorados se presenteiam. Mesma coisa que no Brasil.

Agora, com sua licença, porque acabei de me lembrar que ainda não comprei o presente da minha “Valentine”, que é um termo mais antigo usado para designar namorada!

Também ainda não comprou? So hurry, folks! It’s always time to mollycoddle your lover a little bit, uh?